Histórico

Compartilhe

A Sociedade Mineira de Pediatria foi criada em 1947. Sua história se confunde com a memória dos grandes profissionais que, ao longo de mais de cinco décadas, ajudaram a construir e consolidar a instituição. Para que a sociedade em geral e os pediatras conheçam mais sobre sua história, a SMP disponibiliza breve relato com os principais acontecimentos verificados em cada década de sua existência.

DÉCADA DE 40

Criação da entidade

A posse da primeira diretoria da SMP foi em 28 de fevereiro de 1948, no Instituto de Educação, juntamente com o Departamento Nacional da Criança. Em julho do mesmo ano, a entidade agregou-se à Associação Médica de Minas Gerais, representada pelo médico Paulo Roxo da Motta. Os primeiros diplomas de sócios da SMP foram entregues em outubro de 1949.

A primeira diretoria era formada pelos médicos Abrahão Salomão, Agostinho de Carvalho Fernandes, Alcindo Armando Henriques, Antônio Malheiros Fiúza, Armando Achiles Tenuta, Augusto Severo da Costa, Benjamim Nicolau, Berardo Nunan, Célio Marques Scotti, Delorme de Carvalho, Elpídio Marinho de Almeida, Fausto Gomes Baptista, Fernando Magalhães Gomes, João Afonso Moreira, João de Freitas Filho, Maria Helena Jardim e Paulo Roxo da Motta.

DÉCADA DE 50

Representatividade nacional

Em 11 de outubro de 1950, a SMP passou a funcionar na sede, onde permanece até hoje, na Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), em Belo Horizonte. Dois anos depois, a entidade filiou-se à Sociedade Brasileira de Pediatria. Em 1956, o ex-presidente da SMP, Berardo Nunan, assumiu a presidência da Sociedade Brasileira de Pediatria, como resultado do bom trabalho realizado pela instituição.

DÉCADA DE 60

Mobilização pela valorização dos médicos

Em janeiro de 1962, foi lançada em Minas a primeira campanha para erradicação da poliomielite utilizando-se a vacina Sabin. O então secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais, Roberto Rezende, visitou a SMP por ocasião do lançamento da campanha. No mesmo ano, foi instituída a Jornada Mineira de Pediatria, que ainda hoje conta com o patrocínio anual da SMP. Além disso, foi realizado também o primeiro Curso de Atualização em Pediatria, sob o patrocínio do Departamento Nacional da Criança.

No dia 14 de março de 1963, foi aprovada a reforma do Estatuto, estabelecendo-se as condições de eleitor e de elegibilidade dos sócios da SMP. O novo documento também fixava normas para registro em atas de trabalhos apresentados nas reuniões, além de outras modificações quanto à composição e funções da Diretoria.

Em 16 de dezembro de 1966, na sessão que elegeu a diretoria para o ano de 1967, foi oficializada a utilização da logomarca que trazia a imagem da "menina de tranças" como símbolo da SMP. Sua utilização foi proposta pelo ex-presidente, Adalto Vianna Nunes, e pelo ilustre colaborador da classe médica, Armando Pardini.

A gestão de 1967 foi marcada pelo movimento liderado pela AMMG e AMB contra a baixa remuneração dos médicos assalariados e em regime de pró-labore. As entidades se esforçaram para criar Protocolos de Compromisso, nos quais os médicos se comprometiam a não atender pacientes de entidades públicas ou privadas por valores inferiores aos fixados nos protocolos. Na mesma ocasião, com o apoio da AMB, a SMP reuniu esforços para que fosse retirado da Constituição Brasileira o direito do médico de ter dois empregos públicos. A intenção era que a classe tivesse a garantia de emprego único e bem remunerado. Foi condenada também a chamada "Diária Global" e incentivado o processo de "Livre-Escolha".

Os novos estatutos da SMP foram aprovados na assembleia geral realizada em 07 de junho de 1968.

Entre os dias 08 e 14 de setembro de 1968, a Nestlé realizou seu VII Curso de Atualização em Pediatria. Na solenidade de abertura, foram entregues os títulos de sócios beneméritos aos sócios fundadores Abrahão Salomão, Alcindo Amado Henriques, Antônio Malheiros Fiúza, Armando Achilles Tenuta, Augusto Severo da Costa, Berardo Nunan, Benjamin Nicolau, Célio Marques Scotti, Elpídio Marinho de Almeida, Fausto Gomes Baptista, João de Freitas Filho e Paulo Roxo da Motta. Prestou-se também homenagem póstuma aos sócios-fundadores já falecidos: Agostinho de Carvalho Fernandes, Delorme de Carvalho, Fernando Magalhães Gomes, João Afonso Moreira e Maria Helena Jardim.

De 12 a 18 de outubro de 1969 foi realizado o XVI Congresso Brasileiro de Pediatria, durante o qual Belo Horizonte foi escolhida para sediar o XVII Congresso, que aconteceria em 1971.

Na reunião ordinária de 1969, foi comunicado o credenciamento dos primeiros serviços de Pediatria reconhecidos pela SBP: Clínica Pediátrica da Faculdade de Medicina da UFMG, Clínica Pediátrica da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, Serviço de Pediatria do Hospital da Baleia, Clínica Pediátrica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG) e Clínica Pediátrica da Faculdade de Medicina da Universidade de Uberaba (MG). O ano de 1969 foi o último em que o título de especialista foi concedido sem concurso para os formados até 1963 que comprovassem o exercício efetivo da Pediatria.

DÉCADA DE 70

Instituição do Fundo Pró-Pediatria Mineira - Propem

Os estatutos da SMP começaram a ser reformulados para se adaptarem ao estatuto da AMMG e foram concluídos com a assembleia geral de 07 de outubro de 1974.
Em fevereiro de 1971, foi realizado o primeiro concurso para a concessão de título de Especialista em Pediatria. Em outubro, depois de 19 anos, Minas Gerais voltou a sediar o Congresso Brasileiro de Pediatria. O evento, que já estava na sua 17ª edição, resultou em saldo positivo, com a criação de uma comissão especial para estudar a instituição de um fundo para a aplicação do saldo. O Fundo Propem (Pró-Pediatria Mineira) foi aprovado, legalizado e foi regulamentado em 07 de março de 1972.

No mesmo ano, a Sociedade Mineira de Pediatria comemorou seu Jubileu de Prata, com a entrega de placas comemorativas aos sócios-fundadores.

No ano seguinte, em novembro de 1973, a SMP tornou-se entidade de utilidade pública, conforme Lei Estadual nº 6.172, de 08/11/1973, sancionada pelo então governador Rondon Pacheco. Em março de 1975, o mesmo aconteceu em relação ao município, pelo Decreto-Lei nº 2.752, assinado pelo prefeito Oswaldo Pierucetti.

Em 24 de maio de 1974, foi empossada a primeira diretoria do Centro de Estudos Perinatais.

Março de 1975 foi marcado por importantes iniciativas: a criação do Comitê de Residência Médica, a publicação do primeiro número do Boletim da SMP, coordenado por Lauro Machado Alvim e Lincoln Marcelo Silveira Freire, e o novo Estatuto da SMP, com destaque para a criação das categorias de sócio-residente e aspirante. Em outubro do mesmo ano, foi criado o Comitê de Doenças Infecciosas.

Em março de 1978, foi aprovado o Estatuto do Comitê de Residência Médica e Especialização em Pediatria.

DÉCADA DE 80

Criação das Regionais

Logo no início dessa década, em outubro de 1982, o Comitê de Perinatologia da SMP, junto ao Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas, promoveu uma visita e um debate com o professor Robert Usher, do Royal Victoria Hospital de Montreal-Quebec, no Canadá. No mesmo ano, a SMP promoveu a atualização e a reedição do livreto "Algumas normas de proteção à criança".

Em agosto do ano seguinte, foi realizada a conferência sobre Alojamento Conjunto e Aleitamento Materno, com a presença de Darrick B. Jellife, da Califórnia (EUA).

Alunos da 4ª série do ensino fundamental foram premiados pela SMP em 1982 e 1983. No primeiro ano, a entidade premiou aqueles que participaram do Concurso "Meu valor na comunidade - o que espero dela", com recursos do Propem. No ano seguinte, o prêmio foi para os alunos que participaram do concurso "Meu Brasil de Amanhã". A premiação das melhores redações teve parceria com a Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais.

Em 14 de novembro de 1985, o professor Navantino Alves Filho foi eleito presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria para o biênio 1986/1988. Ele foi o segundo pediatra mineiro a presidir a entidade.

Os estatutos da SMP foram aprovados em setembro de 1985 com destaque para:

  • Mudança no período de mandato da diretoria de um para dois anos a partir de 1986;
  • Criação das regionais da SMP no interior do estado;
  • Criação do Conselho Superior, constituído pelos presidentes dos Comitês Científicos;
  • Oficialização da Diretoria de Cursos e Eventos;
  • Oficialização da Diretoria Social;
  • Atualização das normas eleitorais;
  • Criação da Diretoria de Publicações;
  • Criação da Secretaria Geral;
  • Estabelecimento de critérios para contratação de funcionários.

A primeira regional da SMP foi instalada em dezembro de 1985, denominada "Regional do Vale do Mucuri", em Teófilo Otoni. As demais foram criadas nos anos seguintes:

  • Regional Alto do Paranaíba, Uberlândia - maio de 1987
  • Regional Vale do Rio Doce, Governador Valadares - dezembro de 1988
  • Regional Zona da Mata, Juiz de Fora - abril de 1989
  • Regional Sul, Caxambu - junho de 1989

DÉCADA DE 90

Consolidação da representatividade política

A década de 90 trouxe para a SMP a modernização da sua infra-estrutura com a informatização da entidade e com a aquisição de um novo mobiliário. Tudo isso resultou na melhoria do atendimento aos associados e à sociedade em geral. É dessa época também a elaboração do primeiro calendário anual de eventos da entidade, com destaque para a programação das regionais e comitês de todo o estado. Ainda nos anos 90, houve renovação, avaliação periódica e estruturação administrativa dos comitês da Sociedade. Além disso, uma série de eventos foram realizados no período, especialmente voltados para as subespecialidades da pediatria.

A representatividade política da SMP na defesa dos interesses dos filiados é marca registrada desse período. Em 1992, a entidade participou, junto à SBP, da regulamentação da Lei da Presença do Pediatra na Sala de Parto. A entidade passou também a trabalhar junto ao Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente para incluir representantes da SMP na chapa que concorreu às eleições de dezembro de 1993. No mesmo ano, passou a assessorar o Comitê de Infectologia da Secretaria Estadual de Saúde e também a participar da Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa.

Entre 1994 e 1997, diversas iniciativas da SMP buscaram a atualização do médico pediatra por intermédio de alguns eventos:

  • Congresso Minas-São Paulo, em Uberaba, e V Congresso Mineiro de Terapia Intensiva, presidido por José Sabino de Oliveira, com a participação de 750 congressistas;
  • VII Congresso Mineiro de Pediatria, em 1996, com 800 participantes, presidido por Eduardo Carlos Tavares;
  • XV Congresso Brasileiro de Perinatologia, presidido por Navantino Alves Filho, com a presença de cerca de 2 mil congressistas;
  • Curso de Reanimação em Sala de Parto, com cinco manequins "baby", quatro cabeças e todo o material necessário.

Ainda na década de 90, a SMP criou o cargo de Coordenador Geral e as Regionais do Alto Paranaíba, Vale do Aço e Oeste Mineiro. Definiu a área de atuação das regionais e dinamizou suas atividades. Foi instituído, ainda, o Comitê de Saúde Mental e a Comissão de Divulgação. Foram elaborados os Manuais Científicos de Perinatologia, Cardiologia e Pneumologia e houve ainda a reestruturação do Boletim da SMP.

ANOS 2000

Aproximação com a população

A virada do milênio trouxe mudanças para a SMP. Entre 2000 e 2010, a Sociedade Mineira de Pediatria criou vários mecanismos para se aproximar dos seus sócios e também da população em geral.

Em 17 de agosto de 2001, foi inaugurado o Memorial "Menina de Tranças" que, por quatro décadas, representou a imagem da entidade. Na ocasião, foi apresentada a nova logomarca da SMP.

A Sociedade Mineira de Pediatria passou a comemorar o Dia do Pediatra, em 2002, com grande evento nos dias 26 e 27 de julho, no qual foi realizada mesa redonda sobre violência doméstica contra crianças e adolescentes, além de discussão com a população, na Praça da Liberdade, sobre a importância da segurança no transporte de crianças e adolescentes.

Em 2003, nova diretoria foi eleita para o triênio 2004/2006. Ela trouxe mudanças no organograma da diretoria da SMP.

Muitos eventos marcaram o ano de 2004, como o "Dia do Pediatra", em 27 de julho, palestras e campanhas com temas variados, como segurança no trânsito, catapora e doenças que chegam com o frio. Houve também o lançamento do Suplemento de Pediatria da Revista Médica de Minas Gerais, o início da criação da Academia Mineira de Pediatria (AMP), a reformulação e a mudança do conteúdo do site da SMP, a criação de boletins online mensais e, por fim, a realização do projeto "Jovens Residentes".

Durante 2005 e 2006, foram realizados inúmeros simpósios, congressos, seminários, jornadas, campanhas e também vários cursos. No ano de 2005, destaca-se o lançamento da Academia Mineira de Pediatria, em 1º de agosto. Assim como em outros anos, houve também a comemoração do dia do Pediatra com debates sobre o tema "Do Excesso e da Escassez em Nutrição". Em 2006, foi realizada também reformulação no site da instituição. Ainda nesse ano, o pediatra José Orleans da Costa, presidente da gestão, foi condecorado com o título de "Cidadão Benemérito de Barbacena".

Além disso, a Sociedade ampliou e consolidou seu calendário de eventos ao longo dessa década. Alguns eventos se tornaram tradicionais na entidade, como a Jornada Mineira em Defesa da Amamentação, que acontece todos os anos, desde 2005, em concordância com a Semana Mundial do Aleitamento Materno. Outra ação importante da Sociedade Mineira de Pediatria foi a participação efetiva no "Saúde na Praça", realizada todos os anos pela Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) em comemoração ao Dia do Médico. Nesse evento, a SMP trabalha, a cada ano, temas importantes sobre infância e adolescência.

No dia 10 de novembro de 2007 foi comemorado o aniversário de 60 anos da SMP, em solenidade realizada no auditório Oromar Moreira, no prédio da AMMG, quando pediatras e convidados lotaram as instalações do centro de convenções. Houve também, em 16 de outubro, a posse do pediatra Fábio Guerra como Conselheiro Social da UNIMED. Nesse ano também foi lançado o Livro "Patronos da Academia Mineira de Pediatria: perfis biográficos" e, em 20 de setembro, a nova diretoria da SMP tomou posse na sede da Associação Médica de Minas Gerais.

Em 2008, o então presidente da SMP, Fábio Guerra, foi eleito conselheiro efetivo do CRM e também tomou posse do cargo de diretor administrativo da AMMG. A secretária geral da SMP, Maria do Carmo Barros de Melo, assumiu o cargo de 1ª secretária da Associação. Também em 2008, os pediatras Cássio Ibiapina, Fábio Guerra, José Sabino, Maria do Carmo Melo e Paulo Poggiali iniciaram participação no programa Manhã da Globo, da Rádio Globo, com o objetivo de esclarecer dúvidas do público.

O ano de 2009 foi marcado pelo grande evento da pediatria mineira: o XII Congresso Mineiro de Pediatria. Com mais de mil participantes, o evento foi sucesso de temas e público. Entre vários debates e mesas redondas, o Congresso, que aconteceu no Ouro Minas Palace Hotel, também deu espaço ao I Fórum da Academia Mineira de Pediatria. No fim desse ano, houve eleição na Sociedade Mineira de Pediatria e nova diretoria foi eleita, encabeçada por Paulo Poggiali.

Ainda nessa década, é importante ressaltar a luta pela defesa e valorização dos pediatras. Desde julho de 2009, a Sociedade Brasileira de Pediatria apoiou e articulou, por todo o Brasil, movimentos que buscavam a prioridade de investimento e a valorização do exercício do pediatra. A partir de reunião que aconteceu em Brasília, onde estiveram reunidas grandes lideranças da Pediatria brasileira, foram definidas algumas metas e serem alcançadas pela especialidade, principalmente referentes à conquista de remuneração justa pelos planos de saúde, serviços públicos e privados. Minas Gerais se juntou a essa luta. Por meio de vários encontros e reuniões com coordenadores e representantes dos diversos Serviços de Pediatria, entre outras ações estratégicas, a SMP intensificou, a partir de 2009, a luta em defesa do profissional pediatra.

 

DÉCADA DE 2010

No início de 2010, o pediatra Paulo Poggiali assumiu a diretoria da SMP. Além de buscar comunicação mais direta com seu associado, intensificando e aprimorando seus canais de comunicação, pelos jornais impressos, boletins on-line, informes e também pelo site, que passou por nova reformulação de conteúdo e layout em 2008, a nova diretoria colocou em evidência a preocupação com a defesa profissional, seguindo tendência de todo o Brasil. As principais reivindicações da Pediatria mineira frente às operadoras de saúde complementar são: aumento do valor da consulta pediátrica; pagamento dos honorários e procedimentos hospitalares, usando como referência a edição vigente da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos – CBHPM; criação do procedimento Atendimento Ambulatorial de Puericultura-AAP, para o acompanhamento da criança e do adolescente; adoção do Tratamento Clínico Ambulatorial em Pediatria – TCAP; fim das glosas definidas como “consulta de retorno”; remuneração de consulta feita pelo Pediatra a gestante no ultimo trimestre do pré-natal.

As conquistas, até o final de 2012, na área de valorização do pediatra foram tímidas e diferenciadas, dependendo de cada regional da SMP em Minas Gerais, mas a conversa com as operadoras de planos de saúde foi e continua sendo prioridade da diretoria da Sociedade Mineira de Pediatria.

A gestão da SMP 2009-2012 foi de extrema importância para a Pediatria mineira, uma vez que Belo Horizonte sediou grandes eventos: Congresso Brasileiro de Gastroenterologia Pediátrica, Congresso de Alergia e Imunologia Pediátrica, Fórum da Academia Brasileira de Pediatria - Fórum Zilda Arns, Curso Nestlé de Atualização em Pediatria, IX Congresso da SIBEN - “O Micro prematuro e a Ecologia Perinatal”, Simpósio de Erros Inatos do Metabolismo, entre outros.

O incentivo à educação continuada foi uma das grandes questões levantadas pela diretoria encabeçada por Paulo Poggiali. Em 2011, a Sociedade firmou parceria com o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG) para que cursos de Urgência e Emergência em pediatria fossem ministrados no interior do estado. Até novembro de 2012, mais de 1000 alunos já tinham sido treinados. Outra conquista nessa área, foi a inauguração do Centro de Treinamento (CT) da SMP, em janeiro de 2012. O novo CT tem capacidade para 90 pessoas e está localizado na região hospitalar de Belo Horizonte. O espaço apresenta arquitetura arrojada e foi equipado com o que há de mais moderno para realização dos cursos de Reanimação Neonatal e PALS.

Em outubro de 2012, a pediatra Raquel Pitchon Reis foi eleita a nova presidente da Sociedade Mineira de Pediatria para o triênio 2012-2015, tomando posse em janeiro de 2013. Vice-presidente da gestão anterior, Raquel Pitchon tem como desafio continuar a luta pela valorização do pediatra e dar seguimento às questões ligadas à educação continuada.

 

Menina de tranças

Marca da Sociedade Mineira de Pediatria

Em 1947, durante a gestão do Dr. Helvécio Henrique Ferreira Borges na presidência da Sociedade Mineira de Pediatria, o médico Armando Pardini criou a logomarca que permaneceria por anos como símbolo da SMP: a "Menina de Tranças". Ela representou e acompanhou o crescimento da instituição por 54 anos, tornando-se referência histórica para os pediatras de Minas Gerais.

Em 2001, na administração do Dr. José Maria Penido, a logomarca foi modificada, apresentando-se tal como hoje. Na época, pesquisa realizada com os associados revelou que a maioria desejava que a logomarca fosse modernizada. Então, o Conselho Superior, formado pelos ex-presidentes da SMP, decidiu que a instituição precisava de um símbolo original, que representasse melhor o dinamismo do trabalho da Sociedade. No entanto, era necessário preservar a memória da SMP e a importância que a "Menina de Tranças" teve na história da instituição. Por isso, em 17 de agosto de 2001, em solenidade que contou com a presença de ex-presidentes, convidados e sócios, foi inaugurado o "Memorial da Menina de Tranças", representado por uma placa com a imagem da menina.

A "Menina de Tranças" vive hoje na memória da SMP e pode ser vista na sede da entidade. A Sociedade Mineira de Pediatria se orgulha de preservar a história de uma pequena que, durante muitos anos, representou ideais e conquistas dos pediatras de Minas Gerais.