Ennio Leão, o homenageado no 21° Fórum da Academia Brasileira de Pediatria

Compartilhe

Foto: Luis Fernando Assis

“As transformações da família e da Sociedade e seu impacto na infância e na Juventude”. Com este tema bastante abrangente, teve início em Belo Horizonte, na manhã do dia 24 de abril o 21º Fórum da Academia Brasileira de Pediatria, que nessa edição homenageia o membro fundador da Academia Mineira de Pediatria, Ennio Leão, pediatra expoente no estado e professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais.

A cerimônia de abertura contou com a presença de um grande número de pediatras, além de outros profissionais da área da saúde. Entre as autoridades, os presidentes da Academia Brasileira de Pediatria, Mário Santoro Júnior; a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro; a presidente da Sociedade Mineira de Pediatria (SMP), Marisa Lages Ribeiro; o presidente da Academia Mineira de Pediatria, Paulo César Pinho Ribeiro e o homenageado, o professor Ennio Leão.

Além de dar as boas vindas aos presentes, a presidente da SMP, Marisa Lages Ribeiro, elogiou o evento e agradeceu a parceria realizada entre as Academias Brasileira e Mineira para sua realização.

Paulo César Pinho Ribeiro, presidente da AMP, fez questão de agradecer nominalmente as pessoas que participaram da produção do Fórum. Depois de fazer um breve histórico sobre a Academia Mineira de Pediatria e sua importante parceria com a SMP, o presidente deixou claro que é necessário trabalhar no Brasil a atenção integral às crianças, desde a sua gestação, estimulando não somente a saúde, mas também a educação.

Homenagem

O momento mais emocionante da cerimônia de abertura ficou a cargo do acadêmico Roberto Assis, discípulo de Ennio Leão no Departamento de Pediatria da UFMG e responsável pela homenagem ao professor. Nada convencional, o discurso lembra os mais de 60 anos de profissão do homenageado, em especial os 50 dedicados à universidade. Roberto, emocionado como todos os presentes, não dá detalhes da biografia do professor, do médico, da pessoa. Ele fala da marca Ennio Leão, o que ela realizou, suas contribuição e inscrição simbólicas, o núcleo de sua herança e em especial, a marca de sua postura ética e de seu compromisso com o paciente, independente da condição social da criança ou do adolescente. Roberto fala do mestre que indica o caminho, que aponta a direção, lembrando a humildade de um homem que é muito mais do que acha que é. Fecha seu discurso, lembrando a frase do saudoso acadêmico José Silvério Santos Diniz: “O Ennio deu bases científicas e seriedade à prática da pediatria. Deu o tom ético e abriu a trilha por onde outros caminharam, mas ele foi um pilar”.

Ao agradecer a homenagem, o professor lembrou algumas de suas dificuldades no início da carreira, nos idos de 1955, quando embora já houvesse preocupação com a puericultura, o maior volume do atendimento pediátrico estava no tratamento das doenças infecciosas e parasitárias, juntamente com os distúrbios nutricionais. Lembrou a propaganda da alimentação artificial que incentivava o desmame precoce e tantos outros casos que contrastam com a pediatria dos dias de hoje, quando há transformações tecnológicas ou não. Se as transformações são boas em determinados aspectos, em outros podem ser vistas como processos clínicos de excesso e escassez, tanto em relação aos diagnósticos, aos exames complementares como à terapêutica.

Qualisaúde-Brasil

A representante do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, única mulher pediatra a assumir o cargo de secretária no ministério, falou sobre o Qualisaúde-Brasil, programa interministerial, que objetiva oferecer educação em saúde, requalificando o ensino em saúde e dimensionando a força de trabalho nas unidades de urgência e emergência da atenção primária. Entre os eixos temáticos do programa constam a redução da mortalidade materno-infantil e a imunização e ampliação da cobertura vacinal. Ela lembrou a importância do programa do selo de qualificação da saúde pública infantil, em andamento no ministério, e da necessidade de parcerias com instituições como a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) para que o selo se torne realidade.

“A presença de uma representante do Ministério da Saúde neste evento demonstra a importância que os fóruns da Academia Brasileira de Pediatria vêm tendo ao longo dos seus 18 anos de existência”. Desta forma, Mário Santoro Júnior, presidente da Academia Brasileira de Pediatria, iniciou seu discurso na abertura do Fórum. O presidente, que falou também em nome da presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Luciana Rodrigues Silva, lembrou que as instituições ligadas à pediatria em todo o país sempre mantiveram relações de colaboração com os responsáveis pelas políticas de saúde pública da criança e do adolescente no Brasil. “A ideia do selo é muito importante e, certamente, a ABP e a AMP estarão à disposição do Ministério da Saúde para trabalharmos juntos não somente esse programa, como outros que porventura forem de interesse da saúde da criança e do adolescente”, finaliza.

 

​A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, e a representante do Ministério Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Fernanda Feitoza marcaram presença no Fórum da Academia Brasileira de Pediatria.