Projeto propõe ações e programas para melhorar a qualidade de vida da categoria médica

Compartilhe



Preocupado com o alto índice de adoecimento dos médicos, o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), a Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) lançaram o projeto “O médico além do trabalho: um movimento pelo seu bem-estar”; uma iniciativa que tem o apoio da Academia Mineira de Medicina (AMM).

A coordenadora do projeto e diretora de Saúde do Trabalhador do Sinmed-MG Walneia Cristina de Almeida Moreira, destaca que entre os motivos que levaram à criação do projeto estão os elevados índices de adoecimento mental entre os médicos, manifestado em forma de depressão, ansiedade, alcoolismo, abuso de substâncias psicoativas, estresse, Síndrome de Burnout e suicídio.

O projeto propõe um conjunto de iniciativas como a realização de uma pesquisa para conhecer melhor o perfil sociodemográfico dos médicos mineiros, sua interação com o trabalho e a situação de qualidade de vida e bem-estar, de modo a subsidiar o planejamento de ações como a definição de programas e intervenções positivas.

Além da discussão de temas de interesse dos médicos, relacionados à saúde e o bem-estar, serão desenvolvidas ações que favoreçam: acolhimento dos médicos, oportunidades de socialização, melhoria da gestão do tempo e da carreira e envelhecimento saudável.

Equipe unida em busca de mais qualidade de vida para o médico Conheça a equipe responsável pelo projeto “O médico além do trabalho: um movimento pelo seu bem-estar”:

· Walneia Cristina de Almeida Moreira – Coordenação (diretora de Saúde do Trabalhador Sinmed-MG)

· Ana Claudia de Queiroz (Conselheira Fiscal Sinmed-MG)



· Elizabeth Costa Dias (UFMG e AMM)

· Fabíola Tatiana de Souza (AMIMT)

· Luisa Alves Basques (Médica do Trabalho AMIMT)

· Marconi Gomes (SMME/AMMG)

· Maria Mercedes Zucheratto (diretora Saúde Suplementar Sinmed-MG)

· Sarah Gomes (presidente Sotamig/AMMG)

Participe do questionário!

Para o estudo inicial, o projeto utiliza o instrumento “Questionário de perfil socioeconômico e o WHOQOL-bref”, segundo os protocolos e preceitos éticas de pesquisa. Sua participação é essencial e o acesso ao instrumento para resposta será online.

Para acessar, clique aqui!