Missão Moçambique: confira detalhes dos primeiros dias

Compartilhe



No dia de 9 de agosto, uma equipe de pediatras sob coordenação de Maria do Carmo Barros de Melo, presidente da Sociedade Mineira de Pediatria, e das instrutoras do Programa de Reanimação Neonatal da SBP (PRN-SBP), Marcela Damásio e Márcia Penido, aterrissou em solo moçambicano para a segunda fase do Projeto de Cooperação Bilateral entre Brasil e Moçambique. A ação diplomática tem como objetivo compartilhar conhecimentos com médicos e enfermeiros do país de forma a contribuir para a redução da mortalidade infantil em decorrência de asfixia perinatal.

No total, fazem parte do projeto, além das coordenadoras, as pediatras e instrutoras do PRN-SBP Kelly Nascimento, Sônia Calumby, Ana Damásio, Thaís Queiroz e Nívia Moreira. Em Moçambique, uniu-se ao grupo brasileiro as pediatras moçambicanas Paula Rodrigues e Nilza Mussagy, do Hospital Central de Maputo. Na viagem, que acontece até 18 de agosto e tem sido permeada por visitas técnicas e aulas de capacitação, pretende-se treinar cerca de 200 profissionais que trabalham na atenção ao recém-nascido nas cidades de Beira, Maputo e Nampula.

Os cursos

As atividades da equipe tiveram início no dia 8, quarta, com uma reunião e visita técnica ao Hospital Central de Nampula, referência na região. Acompanhado pela diretora da instituição, Bainabo Sahal, e pela pediatra Merunissa Gafur, o grupo foi recebido de braços abertos pelos membros do hospital e pelos participantes dos cursos, que vieram das províncias de Nampula, Zambézia e Cabo Delgado – norte do país. Já nos dias 9 e 10 de agosto, após o encontro inicial, foram realizados os treinamentos: 40 profissionais de saúde e estudantes de medicina foram capacitados no primeiro dia, enquanto, no segundo, o número de participantes foi de 52. Houve ainda a formação e reciclagem de 18 instrutores. “O curso é muito valioso para nós de Moçambique, pois, além de capacitar os profissionais, nos permite receber certificado de renome internacional. Essa ação certamente contribuirá para diminuir a taxa de mortalidade neonatal no país”, comentou Nilza Mussagy.

De forma similar ao realizado em Nampula, cursos estão sendo ministrados na Província de Beira, de 13 a 15 de agosto. Após as aulas, a equipe seguirá a Maputo, capital de Moçambique, para dar continuidade à formação de instrutores do PRN, que se iniciou em julho de 2016, quando o grupo de Reanimação Neonatal treinou cerca de 80 médicos da região.

Impressões

A pediatra Benilde Soares, representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que participou do curso e iniciou sua formação como instrutora, mostrou interesse em investir na aquisição de materiais necessários à replicação dos cursos, além de apoiar a capacitação nas províncias. Para Marcela Damásio, a avaliação dos dias de missão tem sido muito positiva. “Compartilhar experiências exitosas é a melhor estratégia para reduzir, em menor espaço de tempo, a ocorrência de mortes neonatais evitáveis”, comenta.

A vontade de aprender chamou a atenção de Márcia Penido. “É impressionante o brilho nos olhos dos profissionais de saúde durante a capacitação. A participação foi intensa e após 10 horas de treinamento, todos terminaram o curso motivados a implementar o PRN em Moçambique”.

Entenda

O Projeto de Cooperação Bilateral entre Brasil e Moçambique na área de Reanimação Neonatal é fruto de parceria entre a SMP, a SBP, a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC), a Unicef e a Faculdade de Medicina da UFMG, além de ter apoio da Associação Moçambicana de Pediatria (Amope). O objetivo principal da missão é auxiliar nas ações para promover a redução da taxa de morbimortalidade neonatal em Moçambique, que é alta, em especial no interior. “O desejo é de contribuir para a melhoria da atenção à saúde neonatal como um todo e, para tal, outras ações serão propostas. A alegria e a receptividade dos colegas moçambicanos nos entusiasmaram”, compartilha a equipe de instrutoras.